Guia prático de como definir indicadores de impacto – KPIs

  • 0
  •  0

Definir os indicadores de impacto da sua estratégia já é meio caminho andado para que ela seja bem sucedida. Com os indicadores certos, a sua estratégia vai ser bem mensurada e poderá ser acompanhada de perto. Caso algum problema aconteça, você perceberá a falha a tempo de corrigir o problema e colocar os trens nos trilhos novamente. Para garantir este sucesso para a sua empresa, confira abaixo o guia prático de como definir indicadores de impacto – KPIs.

 

O que são indicadores ou KPIs?

KPI é a sigla em inglês para Key Performance Indicator. Ou seja, indicador-chave de performance. Trata-se de um índice definido pela empresa para medir a performance do desempenho das suas ações. Por exemplo: suponhamos que a empresa queira compreender melhor a produtividade de seus colaboradores. Um indicador de entregas X horas trabalhadas, pode ser de grande ajuda. Num outro cenário, imaginemos que a empresa queira um indicador para lhe ajudar a descobrir se está perto ou longe da sua meta de crescimento para o ano. Um acompanhamento das vendas da empresa e a comparação com o mês anterior, pode ajudá-la a responder esta pergunta.

Como definir indicadores de impacto?

Confira abaixo um passo a passo prático de como definir indicadores de impacto para a sua empresa.

1. Defina primeiro o planejamento estratégico.

De nada adianta um indicador sem o objetivo do que ele deve medir. Logo, antes de mais nada, olhe para o planejamento estratégico da empresa e os objetivos que foram ali traçados.

2. Escolha itens mensuráveis

Parece óbvio, mas é importante frisar que você só pode medir o que pode ser medido. Logo, elabore seus indicadores olhando para os seus objetivos e pensando em como aquilo pode ser mensurado. Usando o exemplo que citamos acima, o mero aumento da produtividade dos colaboradores ou do crescimento da empresa é muito vago e não apresenta nada que possa ser medido. O cálculo de entregas X horas trabalhadas ou do comparativo das vendas da empresa é uma forma de mensurar o objetivo definido.

3. Keep it simple

É importante definir indicadores simples. Ou seja, que podem ser facilmente compreendidos por todos os colaboradores. Se alguém novo entra na equipe, ele ou ela deve conseguir compreender o KPI de cara. O cálculo do crescimento da quantidade de clientes da América Latina oriundos de acordos pré-estabelecidos é um indicador confuso. O cálculo do aumento de contratos Latam é um exemplo de versão mais simples desse indicador.

4. Não deixe de ser específico

Ao mesmo tempo, o KPI não pode ser genérico. Lembre-se de definir indicadores que falam diretamente com o objetivo a que eles estão relacionados.

5. Possibilite que o KPI possa ser repetido num período de tempo

Não limite os indicadores num período de tempo. É importante definir indicadores que poderão ser medidos periodicamente. Se você escolher como KPI um cálculo que tem como base um dado que só pode ser coletado uma vez por ano, esse KPI não serve. O ideal é escolher outro indicador ou manter este, mas mudar a fonte de coleta.

6. Garanta que as metas estabelecidas são relevantes

De nada adianta definir indicadores excelentes para as suas metas, se as metas em si não são relevantes para o negócio e/ou para os colaboradores. Se isso acontecer, dificilmente os envolvidos no projeto vão ver sentido no trabalho que está sendo realizado. O resultado pode ser um KPI baixo, mas o problema não seria a performance dos colaboradores em si, mas da falta de relevância da meta.

Gostou do texto de hoje? Quais são as KPIs que você definiu para a sua empresa? Você sabia que pode usar a Lux Teams para gerenciar seus KPIs? Entre em contato conosco para saber mais.

No Comments

    Leave A Comment